Cascata da Pedra Branca


Rota: Porto Alegre / Osório / Três Forquilhas / Itati / Osório / Porto Alegre

Distância percorrida: 390 km

Localizada no município de Três Forquilhas (RS) e com aproximadamente 120 metros de altura, a Cascata da Pedra Branca é um dos principais pontos turísticos da região. Existem vários acessos possíveis, mas o mais curto e com menor distância sem pavimentação asfáltica fica em Itati, ao lado de um posto de gasolina entre os quilômetros 21 e 22 da RS-486 (Rota do Sol).

Como eu pretendia motocar por tanto chão batido quanto fosse possível, saí da Rota do Sol no trevo de acesso a Três Forquilhas, onde encontrei a primeira de muitas pontes – todas sem proteção lateral – da região. Rodei por alguns quilômetros praticamente sozinho e logo os trechos de pedra cobraram o seu preço.

Perder um pedaço da moto nas estradas secundárias do Litoral Norte do Rio Grande do Sul é uma sina: em março de 2011, rodando com a minha ex-Honda Tornado, perdi ambos os parafusos do suporte da placa e ela própria não ficou pelo caminho por que o arame do lacre era dos bons (e resolvi o problema com um pedaço de fio elétrico).

Em uma das muitas subidas onde o saibro é substituído pelo piso de pedras, ouvi um barulho vindo da parte dianteira da moto; parei logo adiante e bastou uma olhada rápida para diagnosticar o problema: um parafuso torx (que prende o conjunto ótico e o protetor do farol) tinha resolvido morar no interior. Para fugir do sol saariano, passei a mão na bolsa de ferramentas e rapidamente fiz um remendo usando lacres plásticos.

Com um parafuso a menos

Conserto executado (ficou quase tão bom quanto o original, apesar do olhar um pouco caído), enrolei o cabo para chegar logo à cascata e escapar do sol escaldante – mas os últimos 4 quilômetros de estrada acabaram com a minha pressa: cheio de subidas e descidas, o trecho final é uma trilha em meio à mata e, por conta do piso com pedras soltas, exige atenção do piloto: se a roda traseira travar, é preciso escolher entre a valeta ou o precipício. A bem da verdade, a GS não é a melhor escolha para rodar nesse tipo de terreno: o melhor seria uma trail leve e forte para fazer a brincadeira ficar mais divertida.

Por fim, lá pelo meio da tarde, encostei a moto na famosa Cascata da Pedra Branca e comprovei que ela faz jus à fama de bela. Além disso, depois de passar horas suando dentro da jaqueta, colocar os pés dentro da água fria é relaxante. Valeu cada quilômetro: vá lá conferir e depois me diga se não vale a pena.

12 Comentários

Bonito lugar, Piréx!!!!

Na minha região aqui em MG é tudo assim!!!

Abçs

Grande Mestre…

Estou na dúvida se sua moto está com vontade de invejar a fama das HDs e começou a perder parafusos para entrar no clima…mas a solução pode ser a mesma das HDs…basta amarrar uma corda em sua cola com um ímã na ponta para ir arrecadando os “pafarusos” dela e não os seus…

…se em realidade ela quer imitar aquela outra não existe solução, afinal ela não quebra, vai se desmanchando pelo caminho…

Entendi a indireta do lugar e não irei até lá, afinal a flatulência polui o ar…

Estivestes em alguns lugares onde a inveja e a dor de cotovelo me fazem invejar seus passeios, terei que começar a deixar de lado o controle remoto e ir mais para a estrada…

Mais uma vez parabéns…

Abraços,

Ovelha

Tive o mesmo problema com minha GS após percorrer uma trilha de 50 Km de chão batido e trechos com pedras soltas a região de Pentecoste/CE. Consegui arrumar um parafuso comum numa oficina da cidade e está assim até hoje, visto que a concessionária da BMW em Natal/RN (a mais próxima daqui), visitada para fazer a revisão seguinte, não tinha nenhum parafuso para repor a perda!

Gilberto Barreto
FORTALEZA/CE

Bom dia,

Eu vi que você está usando uma bota Steitz impermeável. Eu tive esse modelo, foi trocado por três vezes e sempre entrou água.

Aguentava no máximo uma garoa.

Alguma vez teve esse problema; de entrar água?

Abraço!

Sacanagem colocar aquelas botas sujas dentro da água limpíssima do lugar…
Parceria, essa eu acho que nem tô te invejando. Não deve tger sido mole aguentar aquela lua do final de semana.

Muito linda a cascata. Mas se a BMW perdeu os parafusos pra chegar lá, o que resta pra V-Strom? Mas ouvi dizer que em breve teremos um caminho asfaltado, cheio de curvas para chegar até lá. Não? kkkkkkkk.

Fred:
Minas estás nos planos há horas… Numa dessas dá certo.

Ovelha:
Com a H-D eu catava os parafusos na estrada, com a BMW estou perdendo os parafusos. Pelo menos desta última vez eu mesmo remendei e segui adiante.

Gilberto:
Minha solução certamente será idêntica à tua: vou procurar um parafuso semelhante e colocar no lugar. Mesmo se a concessionária tivesse o parafuso, o preço deveria ser pornográfico.

Junior:
Essa não é a primeira Steitz que tenho, mas é a primeira que escolhi a versão impermeável por que um parceiro da viagem de 2012 ao Chile recomendou, apesar da minha desconfiança do quanto ela seria impermeável. Para minha surpresa, ela realmente aguenta a água – como podes ver na foto, onde estou com os pés dentro d’água. Pode ser que tenhas tido azar (concordo que três vezes é um pouco demais) ou eu sorte, mas estou satisfeito com a bota.

Dedé:
Não existem palavras para descrever o que era o sol naquele dia. E dentro da jaqueta e da calça de cordura a temperatura era multiplicada por 2. Valeu a pena, mas literalmente suei a camiseta.

Landão:
Pelo histórico que temos aqui no blog, Fat Boy acha parafusos, GS perde – mas V-Strom segue firme. Não é isso?

Abraços!

Piréx,

o dia que vier a Minas é só avisar que será um prazer tomarmos uma gelada!!!

Fred:
Certamente te incomodarei, principalmente para apontar o que vale e o que não vale a pena visitar aí na tua região. Não deve demorar para eu tirar esse plano do papel.

Grande abraço!

Muito legal ver o amigo por aquelas bandas!
Tenho alguns parentes lá perto, e sempre que posso dou uma passada pra contemplar essa beleza.
Pena que agora minha motoca não me permite este tipo de aventura off-road.

Abraço!

Vainer, realmente as paisagens de lá são sensacionais – mas é preciso abrir o olho com as estradas… A prova está aí, no parafuso do farol que ficou pelo caminho. A bem da verdade, a culpa é da BMW que não colocou uma arruela de pressão, mas agora eu resolvi isso.

Abraço!

Baita lugar Pirex, e relativamente perto de POA ! As fotos atiçaram a minha curiosidade de ver essa cascata. Vou tentar ir lá, assim que o calor der uma tregua ( estou meio traumatizado com a bateria da GS 650: fiz uma viagem a Colonia, Uruguai, e voltei com ela sêca… peguei 5 dias desse calor maluco na estrada ). Belo passeio, parabens ! Abraço !

PS: Com relação a Cascata das Andorinhas, assim que pretender voltar lá, te aviso.

Deixe um comentário

    REDES:  

  • rss
  • youtube
  •  
  • PESQUISAR NOS ARQUIVOS: