Manutenção e afastador de alforges na BMW F 800 GS


Há alguns dias, cumpria eu o ritual diário de subir na moto para me deslocar até o trabalho quando reparei que a luz de advertência no painel não havia apagado (em condições normais, ela apagaria pouco após a partida do motor) e no lugar da quilometragem aparecia a palavra LAMP. Não foi preciso ser um especialista para deduzir que uma lâmpada havia queimado, provavelmente por conta da trepidação do último trecho off-road que percorri, e bastou olhar para o conjunto ótico para ver que a luz baixa tinha entregado os pontos aos 16.000 km de vida.

Como isso aconteceu numa quinta-feira e eu já estava com uma motocada programada para o sábado, decidi trocar a lâmpada eu mesmo em vez de esperar uma vaga na agenda da concessionária. Além da óbvia economia de tempo e dinheiro, minha maior motivação foi a necessidade de saber como fazer uma manutenção básica como essa, evento comum em viagens.

Primeiro problema: como acessar o soquete da lâmpada?

Tampa do conjunto óticoTampa do conjunto ótico

Olhando com mais calma a parte traseira do conjunto ótico da GS, percebi que a tampa (redonda, que aparece em primeiro plano) parecia encaixada – e era: com 1/4 de volta no sentido anti-horário ela fica solta e o soquete, junto com a trava da lâmpada e a própria, aparecem. Muito bom, pensei eu. A lâmpada pode ser trocada sem o uso de ferramenta alguma – mas tinha um parafuso no meio do caminho. No meio do caminho tinha um parafuso. Danou-se a troca sem ferramentas.

Tampa abertaTampa do conjunto ótico aberta

Como é desmontando que se aprende (mesmo que eventualmente tenha que levar os pedaços para o mecânico juntar), valeu a pena tirar o parafuso para descobrir que isso não é necessário e a trava da lâmpada possui encaixes do outro lado que podem ser retirados com a mão, tornando desnecessário o uso de uma chave.

Não foi difícil encontrar uma lâmpada com as especificações necessárias (uma Philips H7, ao preço de R$ 30: comprei um par, para carregar uma sobressalente na próxima viagem); descoberta a forma de fazer o serviço e com o material necessário na mão, era chegada a hora de meter a mão na massa.

Lâmpada instaladaLâmpada do farol instalada

Lâmpada no lugar, trava e seu parafuso encaixados, tampa fechada, lâmpada funcionando… Finalmente tenho meu odômetro de volta (esqueci de dizer, mas vale o comentário: enquanto a lâmpada não é substituída, a palavra LAMP aparece no lugar da quilometragem no painel; a menos que exista uma configuração que não descobri, se a lâmpada queimar não há como saber a distância percorrida antes de trocá-la).

******

Já fazia um bom tempo que eu e o Tara, ex-proprietário da DL-1000 V-Strom amarela que apareceu muitas vezes aqui no Diário de Bordo e atual dono de uma BMW F 800 GS Dakar, estávamos correndo atrás de um afastador de alforges para nossas motos: como pretendo utilizar o Texx TX-09 que me atendeu muito bem enquanto possuí a Honda CB1300 Super Four na próxima viagem, precisava resolver o quanto antes essa pendenga.

A peregrinação por lojas, oficinas, mecânicos, artesãos e assemelhados foi longa e desgastante, uma vez que não achávamos quem fizesse o trabalho e, quando encontrávamos um, o valor do serviço não era nada razoável. Como o trabalho não nos parecia complicado, catei alguns pedaços de arame e um rolo de silver tape e fiz um protótipo do afastador.

Protótipo instalado na motoProtótipo do afastador instalado na moto

Rascunho feito, falei por acaso com alguém que entendia do assunto (valeu, Fábio!) que, somente com o protótipo de arame e silver tape, construiu em 30 minutos a primeira versão do afastador com barras redondas de 3/8″ curvadas em uma morsa e soldadas. Uma pendenga de semanas resolvida em minutos.

Primeira versão do afastadorPrimeira versão do afastador

Essa primeira versão possuía uma tela expandida para dar maior apoio ao alforge, mas nos testes iniciais ela se mostrou desnecessária (os alforges possuem tirantes de fixação que não passariam pelos buracos da tela) e foi limada do projeto na segunda versão, eliminando peso e tornando a peça mais parecida com os afastadores disponíveis no mercado.

Versão final do afastadorVersão final do afastador

Por fim, pintado e montado na moto:

Afastador - Visão lateralAfastador – Visão lateral
Afastador - Visão superiorAfastador – Visão superior
Proteção no encaixeProteção no encaixe
Afastador - Visão superiorAfastador – Visão superior

Talvez ainda seja necessário escolher parafusos melhores e uma borracha mais grossa para proteger o suporte da pedaleira (onde o afastador é fixado), mas as arruelas de borracha serviram perfeitamente e o meu ponto de vista foi provado: com boa vontade e a orientação adequada, é possível executar um projeto como esse com poucos gastos – as barras custaram menos de R$ 10 – e ainda aproveitar para descansar a cabeça mexendo na moto.

Terapia? Moto.

32 Comentários

Pô, bacana esse afastador.
Parabéns aos engenheiros envolvidos.
Vendam agora pra BMW comercializar pelo “n” múltiplo razoável, hehe.

Agora, a moto vibra e uma lâmpada queima?
Pô, e ainda falam da magnífica Harley?

Abrazon

EL G

Parabéns Cásio! Ficou showwww! Talvez uns parafusos allen (facilmente encontrados em casas de parafusos) fiquem ótimos, sempre uso estes devido a sua precisão em aperto! Quanto às borrachas, acredito que câmara de pneus das grossas (caminhão) fiquem ótimas, pensei no E.V.A, mas acho que eles cedem muito pois não possuem a mesma resistência da borracha para torques de pressão maiores!
Grande abraço.

Muito bom Pirex!!! A criatividade do brasileiro não tem limite. Agora é só patentear e faturar com os pedidos hehe.
Também alem do para fuso sugerido, usa porcas travante aquela com borrachinha no final,pois não solta com trepidação.

Grande Mestre,

Minhas lâmpadas de painel custam um pila e eu tava achando caro, pois tem uma meia dúzia na tralha….

… quem sabe eu te pago os 10 pilas e tu resolves o vazamento do meu motor que já tem uns 10 anos…tipo Harley, entendes…daqueles que só marca território…ou fazes um tanque extra só para o óleo…

Quando precisarmos de uma grelha para o churras já sabemos quem faz baratim….

Abraços,

Ovelha

GDM:
Estou selecionando investidores para capitalizar a “Afastadores S/A”. Interessado? A questão da lâmpada foi uma suposição… Talvez ela tenha queimado em tão pouco tempo em função da qualidade mesmo (a da Fat durou mais ou menos isso).

Carlos:
Na parte superior, onde vai o suporte do baú, não posso usar parafusos com a cabeça muito alta… Então os allen estão descartados ali, mas na parte de baixo acredito que solucionem bem. O protetor que aparece na foto é um pedaço de EVA, mas certamente ele não aguentaria uma viagem; como tenho que trocar os pneus da GS, talvez sobre borracha para o protetor (talvez seja mais fácil trabalhar com uma borracha fina, mesmo que precise de mais voltas para chegar na espessura ideal).

Samuel:
Foi o que eu disse para o GDM antes… Vou abrir uma empresa. Também acho que a solução passe por porcas travantes, coisa que não estava à mão na hora do teste. Certamente vou procurar por essas para a versão definitiva.

Ovelha:
Preciso do telefone do teu fornecedor de lâmpadas: por que diabos eu seguiria pagando 30 vezes o preço de um produto? Eu tenho um boa solução para o vazamento do motor e não custa nem R$ 10. Garanto que não vaza nunca mais.

Abraços!

Show ! Agora pode vc vender para a BMW Motorrad como acessório original, quem sabe até de melhor qualidade que a alemã ( gaudéria, kkk ) !

É muito bom mexer na moto, inventar, pintar, parafusar…já desmontei a minha várias vezes, e quando não consigo montar como era antes…levo na mecânica pra dar aquela revisada..kkkk
O suporte ficou legal, bem adaptado e barato…parabéns!!

Fernando:
Está ficando bom o negócio… Já tenho investidores, apoiadores e agora uma estratégia de marketing: “Esse é daqui!” (será que alguém já pensou num slogan assim? Estou quase certo que já ouvi isso algum lugar).

Marcus:
Eu realmente falo sério quando digo que mexer (e andar, claro) na moto é uma terapia impagável – mesmo quando tenho que pedir socorro a quem entenda da coisa. É um conhecimento útil e ainda descansa a cabeça. Recomendo fortemente.

Abraços!

kkkkkk
Ver você bolando o afastador me trouxe algumas memórias.
Também tenho alforges e quando tinha comprado a cebê 300, simplesmente não tinham afastadores ainda para ela no mercado. A minha sorte é que eu achei alguém que fizesse a um preço justo (indicação de um amigo). Hoje, o afastador que eu tenho é melhor que muito afastador que vendem por aí. Acredite, esse aí que você fez não vai ser uma exceção, se prepare para começar a comercialização. hehe

Tens razão, Pardal. Na verdade, esse é um dos objetivos de artigos como esse, onde detalho como e por quê fiz alguma coisa: incentivar as pessoas a resolverem suas necessidades da melhor forma possível (e compartilhar conhecimento talvez seja o maior mérito do blog). Vejo muitas vantagens nesse processo – aprendizado, conhecimento do próprio veículo, redução de custos, etc – e, pelo retorno que tenho sempre que compartilho alguma informação desse tipo, farei muitas outras vezes.

Grande abraço!

Boa tarde amigo. Vc vende este afastador da f800gs? Onde poderia comprar? Grato

Wagner, eu e meu cunhado fizemos artesanalmente esse afastador justamente por que não encontrei em lugar nenhum para vender; cheguei a entrar em contato com uma loja que também fabrica para que eles fizessem um usando minha moto como modelo (e depois colocassem na linha de produção), mas na última hora eles desistiram. O que recomendo é que peças a um mecânico (ou alguém que trabalhe com ferros e soldas) da tua confiança para que ele produza um sob medida.

Abraço!

Boa tarde Piréx. Tenho uma F800GS 2013 e preciso de um afastador deste URGENTE. Tbém possuo uns alforeges Texx e gostaria de usá-los na minha moto. Vc comercializa amigo? Se não, tem como vc me mandar as medidas para que eu tente achar alguém que faça? Obrigado. Abs.

Flávio, eu não comercializo: fiz um molde em arame (e por este motivo nem medidas tenho) e meu cunhado fez o afastador na metalúrgica que trabalha. Imagino que possas fazer o mesmo; se o tempo for curto, talvez possas adquirir um suporte de baús e utilizá-lo como afastador (o custo é maior, claro, mas resolverás o problema). Eu poderia te emprestar os que fiz, mas – se teu IP está certo – estás em Goiânia… Longe demais para vir buscá-los.

Abraço e boa sorte!

Caro, Piréx, realmente estou um pouco longe p buscar, rs…
Mas de qualquer forma agradeço pela atenção.
Um abraço.

Flávio

Sempre às ordens, Flávio.

Grande abraço!

Boa noite ! Como faço para arrumar um afastador como esse seu ? Obrigado !

Yuri, esse afastador foi feito artesanalmente por mim e meu cunhado e fazer um é o que tenho recomendado aos proprietários, uma vez que nenhuma fábrica (que eu saiba) se prontificou a produzir um modelo semelhante. O trabalho é simples e vale a pena tanto pela diversão quanto pelo resultado.

Abraço!

Pessoal, estou precisando muito de um afastador desses e adorei a materiA, vcs teriam como me vender um ?
Abraço
Mário

Mario, eu não comercializo: fiz um molde em arame (e por este motivo nem medidas tenho) e meu cunhado fez o afastador na metalúrgica que trabalha. Imagino que possas fazer o mesmo; se o tempo for curto, talvez possas adquirir um suporte de baús e utilizá-lo como afastador (o custo é maior, claro, mas resolverás o problema). Eu poderia te emprestar os que fiz, mas – se teu IP está certo – estás em São Paulo… Longe demais para vires buscá-los. Se passares por Porto Alegre, é só me avisar.

Abraço!

Amigo,
Quem fez esse afastador para você? Tem o contato? Será que ele repete a façanha?
Grato,
Marcos

Marcos, foi meu cunhado (que lida bem com ferros e soldas) quem fez esse trabalho artesanal; não creio que ele se anime a fazer outro, mas um bom serralheiro pode fazer um idêntico. Se passares por aqui (se teu IP está certo, estás em SP), posso te emprestar esse.

Grande abraço!

olá, troquei minha lampada por esses dias tbm, mas a luz de advertencia e a palavra lamp ainda nao sumiram o que fazer?

Vinicius:

Se o aviso da tua GS é como o da minha (diz apenas LAMP, em vez de LAMPF ou LAMPR como em alguns modelos), qualquer das lâmpadas pode estar queimada – mesmo a lâmpada de parada, que é pequena e passa facilmente despercebida, ou a luz alta (ou ainda a luz traseira, se a da tua GS não é com LEDs: ela tem dois filamentos e se um queima, a luz segue acesa mas o computador avisa).

Se todas estão Ok, meu próximo chute é que a lâmpada que colocaste não tem a especificação esperada pelo computador de bordo (55W, se não estou enganado) e por isso ele aponta como queimada.

Se não for nada disso, pode ser o soquete da lâmpada ou mesmo o computador, mas acho essas hipóteses menos prováveis. Compartilhe conosco a solução quando descobrires o problema.

Abraço!

Fala meu camarada… Tudo beleza? Sempre que pesquiso algo pra minha BM aparece sua página… Pra minha tranquilidade, pois várias dicas super dez. Tive um problema com “LAMP” tb.. Vamos lá. Encontro de moto em Cabo Frio.. No caminho a lâmpada do farol baixo foi pra o saco. Troquei existente da maneira que vc falou. Fim de semana a moto deu pane elétrica.. Não queria pegar mais. Queimou tb a lâmpada traseira. Ainda na garantia, liguei pra o Service Car da BMW que se prontificaram a enviar um reboque pra levar a moto na CC da Barra. Duas horas dps esperando chega um reboque que não era compatível com moto. O cara do reboque solicitou a carroça de moto. Mais 2h esperando e cancelei tudo. Encostei a moto numa mecânica de carro, desmontei a carenagem e sem “manuel” na mão, peguei a especificação da bateria e comprei outra eu mesmo. Trocada a bateria, moto pegou de primeira. O elétrico da oficina que parei disse q cm a voltagem da moto tava desregular por conta da bateria fraca.. Começou a queimar as lâmpadas. Problema resolvido. Desmontei a capa da lâmpada traseira e algo bobo me tirou o sossego. Não consegui tirar a lâmpada traseira nem a pau, parece q o troço nasceu ali… Colado. Fiquei com medo de quebrar a lâmpada e não forcei. Meu alerta tb não tá funcionando. Ajuda aí… Abraço meu camarada.

Rafael, qual lâmpada traseira queimou?

Abraço!

Fala chapa, a do freio. A lanterna tá acesa. Só a do freio que não funciona. Como eh uma lâmpada de dois pólos.. O engraçado eh q o filamento não estourou… Mas cm pra testar o jeito eh trocando apenas.. Vou fazer isso… Pra ver.. Dai se continuar não funcionando… Dai tenho q partir pra um escaneamento. Um colega (“mexânico) disse pra deixar a moto sem a bateria por alguns instantes, dps encostar os dois pólos q conectam à bateria (os cabos da moto que vão na bateria) pra zerar os fundos e assim fazer uma te leitura do sistema quando conectar esses cabos novamente à bateria. Dessa forma.. O sistema lê a configuração de fábrica… Alguém confirma isso?

Correção: zerar os “diodos”.

Já passei por situações semelhantes, Rafael: não era visível o rompimento do filamento da lâmpada, mas ela não funcionava. É bastante provável que trocando resolva. E sobre encostar os dois cabos, não tenho conhecimento do resultado.

Abraço!

Deixe um comentário

    REDES:  

  • rss
  • youtube
  •  
  • PESQUISAR NOS ARQUIVOS: