Caminhos do Mercosul: Brasil, Argentina e Uruguai – 5º dia


Rota: Montevideo / Punta del Este / Jose Ignacio / Rocha / Castillos / Chuy

Distância percorrida: 361 km

O amanhecer frio em Montevideo, especialmente no centro da cidade onde o sol demora a bater, me fez lembrar que essa é a temperatura ideal para motocar – nem muito frio a ponto de congelar os dedos nem tão quente como têm sido os últimos meses no Rio Grande do Sul.

Após os procedimentos matinais, saímos do centro em direção às ramblas para, através delas, sair de Montevideo em direção à Ruta Interbalnearia; essa deve ter sido a menor média horária de toda a viagem, mas cada quilômetro da costanera vale a pena. Apesar da grande quantidade de sinaleiras, o trânsito é tranquilo e quando colocamos as rodas na Interbalnearia ficamos quase sozinhos na estrada até Punta del Este, nosso próximo destino (na passagem pela região do aeroporto de Punta, um avião pousando passou raspando sobre nossos capacetes num sincronismo impensável).

Apesar de ter passado por este trecho do Uruguai no ano passado, a chegada à região de Punta Ballenas/Punta del Este é sempre impressionante: desta vez saímos da Ruta Interbalnearia para chegar à Casa del Pueblo e ao Mirador Punta Ballena, local com uma vista impressionante do Rio de la Plata. Dali, passamos rapidamente por Punta e chegamos à Barra de Maldonado, onde paramos na entrada da ponte que leva o nome do seu designer, Leonel Viera (mas é popularmente conhecida como ponte ondulada), para os devidos registros fotográficos.

Depois da Barra de Maldonado, seguimos pela Ruta 10 para atravessar de balsa a Laguna Garzon e, com mais 30 quilômetros de R10, chegar à Ruta Nacional 9 que nos levaria até Chuy. A surpresa, entretanto, ficou por conta do piso da R10 após a passagem da balsa: chão batido. A julgar pela comemoração quando encontramos a asfaltada RN9, imagino que muitos impropérios tenham sido lançados contra a minha pessoa (já que eu era o piloto do GPS) dentro dos capacetes dos meus companheiros de viagem.

Todos felizes por deixarmos para trás o complicado piso da R10, seguimos pela RN9 até Chuy, onde as compras nos freeshops nos esperavam; regalos adquiridos, encostamos as carcaças cansadas em um bar da Av. Brasil (que fica do lado Uruguaio: do lado brasileiro ela se chama Av. Uruguai) e nos atracamos em alguns chivitos regados a Zillertal. A longa caminhada até o hotel ajudou na digestão e acabou com as minhas últimas energias – afinal, rodamos 2089 quilômetros até aqui.

    REDES:  

  • rss
  • youtube
  •  
  • PESQUISAR NOS ARQUIVOS: