Viaduto 13, o filme


Rota: Porto Alegre / Lajeado / Encantado / Muçum / Encantado / Lajeado / Porto Alegre

Distância percorrida: 350 km

Em março de 2012, navegando em sites de aventura, descobri por acaso o Viaduto do Exército, 13º viaduto – a contar da cidade Muçum (RS) – da EF-491. No artigo que escrevi na época, estão várias fotos que dão uma boa ideia da grandeza do lugar; o que faltou, e agora volto ao assunto por este motivo, foi documentar os 15 quilômetros de chão batido às margens do rio Guaporé entre a RS-129 e o viaduto 13.

Além das imagens da estrada, imaginei que poderia descer uma câmera amarrada a um fio de náilon (inventando a vara de pescar de selfie, potencial substituta do pau de selfie), mas na prática o vento lá em cima criou uma grande instabilidade na câmera e as imagens gravadas ficaram impossíveis de assistir. Mesmo sem esse ponto de vista do lugar, os demais registros foram suficientes para criar um vídeo que complementa o artigo de 2012.

A motocada serviu também para testar um pouco mais a navegação com mapas OpenStreetMap no Garmin 60 CSx: foram cerca de 350 quilômetros percorridos entre ruas, estradas federais, estaduais e vicinais sem problema algum. Testei também o aplicativo OsmAnd em várias situações e até agora a experiência tem sido positiva: para quem precisa de navegação off-line no celular/tablet e mapas sem custo no GPS, recomendo fortemente o teste.

9 Comentários

Grande piréx!
Quando vi o vídeo no teu canal do You Tube só fiquei na dúvida quanto ao trecho de chão batido, pois esta é sempre uma preocupação devido a minha moto ser uma Bandit.
Questão respondida agora.
Valeu!

Ah, vou testar esse app do OSM pro Android.

Abraço!

Vainer, a parte de chão certamente é tranquila para a Bandit e o último trecho recebeu calçamento, como dá para ver nas imagens. Com um pouco de paciência é possível chegar de moto até a beira dos trilhos, mas como a subida é íngreme (de 0 a 150 metros de altura em 4 segmentos curtos de estrada) talvez seja mais interessante subir a pé.

Grande abraço!

Show Piréx! Vc, como sempre, matando a pau!!!!

abçs

Olá, Pirex. Fiquei de comentar o uso do OSM na viagem para o Uruguai. Usei por um bom tempo, já a partir do Brasil, mas a intenção de percorrer a costa oeste do Uruguai foi por água abaixo. O OSM me mandou seguir pela RN 3 (o que não foi de todo ruim), e acabei me afastando do trajeto inicial. Quando percebi que eu teria de voltar muitos kms, troquei pelo mapa do Mapear e logo este me enviou direto para Colonia, desta vez por estradas secundárias, mas em boas condições.
Resumindo, se você não conhece a região muito bem, é melhor testar ambos os mapas e colocar tantos waypoints quantos sejam necessários para obrigar o gps seguir o teu trajeto. No mais, não tenho críticas, faltam alguns Pois, mas isto se resolve em pouco tempo.

Valeu, Fred!

Renato, obrigado por compartilhar tua experiência conosco. Essas rotas que fizeste foram geradas em uma aplicação (como o MapSource ou o BaseCamp) ou direto no GPS? Como as minhas foram geradas no MapSource, talvez eu não tenha percebido esse problema por que a rota foi definida ponto a ponto e depois passadas para o GPS. Será que essa decisão de seguir pela RN-3 pode ter sido baseada em alguma configuração (caminho mais rápido, mais curto, etc) do GPS?

Abraços!

Mas, chê…

Não se vê o motorista. Como vamos saber se não era o Landão enfrentando as trilhas e tu na garupa, agarrado feito Mazzo na cerveja?

O teu GPS fala? O meu tem waze e é quase uma patroa “Imbecil, era por ali… Recalculando rota…”.

Abraços!

EL G

GDM, nunca saberás. Só perguntando ao Landão – que é um cara modesto, sabes disso, e talvez não queira receber louros pela pilotagem off-road. E o meu GPS não fala. Via de regra, por causa do capacete, GPSs específicos para moto só deveriam falar via bluetooth ou algo parecido (ou precisariam gritar para o piloto ouvir) e o meu não tem essa tecnologia.

Grande abraço!

Eu a fiz no basecamp. Acredito que no OSM existe alguma rodovia com definição errada e o gps me mandou para outro lugar. No gps eu configurei para evitar estradas de chão.

Bem, da próxima vez vou colocar mais POIS e forçar a barra.

Renato, eu normalmente coloco vários pontos na rota para evitar que o GPS decida por outro caminho, mas ainda assim tive problemas semelhantes ao teu quando chegava ao destino e invertia a rota para voltar. Com qualquer mapa (Garmin, Tracksource, Mapear, etc) eventualmente o caminho apontado pelo GPS era outro.

Abraço!

Deixe um comentário

    REDES:  

  • rss
  • youtube
  •  
  • PESQUISAR NOS ARQUIVOS: